Categorias
Autodesenvolvimento

a tal validação externa…

menina segurando uma rosa com as mãos

Nós realmente gostamos de procurar fora da gente o que sentimos que nos falta. Nós nem sempre acreditamos naquilo que vem da gente e, francamente, não se ouvir é uma das piores crueldades que podemos fazer conosco. Nós ignoramos o que sentimos; nós ignoramos o que intuímos. Parece mais fácil ouvir de fora e buscar ajuda nos outros. Uma luz, uma resposta, uma direção. Qualquer coisa: parecemos precisar do que vem de fora mais do que vem de dentro.

Crueldade. É totalmente injusto fazer isso com você mesmo. Sei que somos, muitas vezes, estimulados a ignorar e engolir o que é genuíno e nasce aí e aqui dentro. Desde cedo aprendemos a importância de ouvir o outro — e obviamente precisamos dar ouvidos às outras pessoas, mas e como ficamos? Na maioria das vezes, sem voz. E pior: por mais que ouçamos nossa voz, optamos por ignorá-la e vamos buscar respaldo em qualquer outro lugar. A tal da validação externa… Parece mais sensato escutar o mundo, menos a si mesmo. Afinal de contas, será que eu sei mesmo alguma coisa? Será que sou capaz de acertar? Mas e se eu errar? A responsabilidade vai ser mesmo minha? Por via das dúvidas, vou caçar por aí.

Nos falta confiança e nos falta silêncio. De tanto barulho, acabamos confundindo e misturando as vozes e os sentimentos e os pensamentos que habitam em nós. Ah, o silêncio. Por que nos incomodamos tanto com ele? Por que temos tanto medo? Por que nos enchemos com tanto barulho e tanto caos? Por que é mais fácil aceitar o que vem de fora do que o que vem de dentro?

As coisas andam realmente desorganizadas por aí (e também por aqui). Vivemos acreditando que nos falta algo: precisamos saber mais, ter mais, conhecer mais, aprender mais, viajar mais, transar mais, estudar mais. Sempre mais, mais, mais, mais, mais. Nada nunca é o suficiente. Nunca parecemos estar verdadeiramente satisfeitos. O que pode ser bom e ruim, bem sabemos: por um lado, devemos buscar evolução (e só evoluí quem sai do lugar e busca expandir o que se tem e o que se é); mas, por outro lado, vivemos inconformados, vivemos na escassez. Nunca saciados, nunca satisfeitos.

É tudo questão de equilíbrio nessa vida, né? E estamos aqui pra isso mesmo: encontrar o meio termo em tudo. E é uma das coisas mais difíceis a se fazer. O equilíbrio nem sempre é igual pra todo mundo. Nós precisamos encontrar o nosso. E a resposta já está na gente. Nada nos falta… O que acontece é que deixamos tudo tão guardadinho aqui dentro que vamos nos acostumando a achar que, por estar guardado demais, não existe. Mas basta organizar as coisas e ressignificar o lugar de cada uma delas. Não precisamos nos identificar com o que nos falta. Precisamos aprender a ver que temos tudo e somos capazes de mudar tanta, mas tanta coisa. Não vale a pena viver uma vida de buscas frenéticas por aquilo que achamos não ter. Vale mais a pena viver em busca de si mesmo e de tudo que te contempla. Que é MUITO, mas muito mesmo. E que talvez seja TUDO.

 

3 respostas em “a tal validação externa…”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.