autocuidado.

Viver é uma eterna montanha russa que não para jamais de descer e subir. Portanto, de nada adiantaria passar anos e anos fingindo que não estamos em cima dela: todos nós estamos e todos nós fomos feitos para estarmos ali. O único que nos resta é aprender a remediar os enjoos que todas essas subidas e descidas provocam. Autocuidado é um ótimo remédio pra isso. Mas como?

uma mulher com sua saúde mental em dia não quer guerra com ninguém.

Autocuidado começa no respeito que você tem por você mesma. E nós só nos respeitamos quando assumimos o protagonismo de nossas vidas. Dá pra se colocar sempre em primeiro lugar? Se alguém souber como, por favor, me passa a receita. Muitas situações da vida acabam fazendo com que nos coloquemos em segundo plano, e isso é extremamente necessário para que nos conheçamos mais. Nós só podemos nos aprofundar e fazer boas escolhas quando conhecemos e sabemos os dois ou vários lados de um mesmo enredo. Se não passássemos por momentos estranhos e chatos na vida talvez não saíssemos nunca do lugar. E a vida, meu bem, é puro movimento.

Autocuidado é respeitar seus momentos e suas fases. Tem hora que a vida pede mais calma, tem horas que ela pede mais agressividade. Você vai ficar irritada, estressada, enraivecida, reclamona, frustrada, com baixa auto estima e tudo que se possa imaginar. Você é humana. Não tente esconder seu lado feio, não finja que ele não existe. Pegue suas histórias de fracasso e comece a integrá-las aos momentos de glória, poxa vida. A gente se maltrata tanto quando empurra pra baixo do tapete os erros. A gente se maltrata tanto quando comparamos nossas vitórias (ou derrotas) com as dos outros. A gente se prejudica tanto tanto tanto quando esquece que nessa vida só temos a nós mesmos. Autocuidado é valorizar muito seu momento de solitude e buscar aquele preenchimento completo que só você pode se dar. Isso é muito sério, mesmo. 

Autocuidado é respeitar suas escolhas e sua intenção. Se seu corpo não quer, não faça. Se você não está afim de alguma coisa, não faça essa coisa (a não ser que sua vida dependa disso, né). Se algo está te fazendo mal, aprenda a se afastar. Esse é o autocuidado na prática. Cuide do seu corpo, do seu espírito e da sua mente. Valorize o que você sente. Perdoe-se. Olhe-se com compaixão. Tenha paciência consigo mesma, você está aprendendo (todos nós estamos e estaremos sempre aprendendo).

 

Autocidado também tem a ver com treino, sabia? Treine sua mente e seu espírito para evitar as próprias armadilhas (sabemos muito bem ser nossas piores inimigas, é bizarro) e se fortalecer. Quando bater o desespero, tente olhar as coisas de longe, como se você estivesse fora — as coisas mudam de tamanho instantaneamente e nossos problemas parecem diminuir. Claro que isso não os resolve, mas pode te ajudar a encarar as coisas com mais leveza. Olhe pro seu passado agora mesmo. Lembra daquilo que te fazia chorar e sangrar muito. Se você se amou, você conseguiu enfrentar e cicatrizar a ferida. A gente sempre dá conta. Na maioria das vezes, nós somos nossos maiores atrasos pro nosso próprio crescimento. A gente se apega, a gente se culpa, se condena, se maltrata. A gente não se deixa fluir. Tudo sempre passa. Tudo sempre passa. Tudo sempre passa. Nós aumentamos as coisas de tamanho mesmo, mas lembre-se: tudo sempre passará.

Precisamos aprender a fazer renúncias para praticarmos o autocuidado. Você é as renúncias que faz. As escolhas. Autocuidado também é saber enfrentar as consequências do que outrora foi sua opção. Autocuidado é estar presente, é estar do seu lado o tempo todo e discernir com maturidade suas escolhas. Os outros até nos ajudam, mas quem bate o martelo precisa ser você. Difícil, né? Ainda mais estando tão acostumados a receber ordens de alguém. Mas autocuidado é isso: ser responsável por você. Você está a frente da sua vida, você está no comando. E pra que isso seja saudável, você tem que se conhecer. Autocuidado também é autoconhecimento. 

E não, você não precisa estar tão bem resolvida assim na vida pra se cuidar. Na verdade, só pelo fato de aceitar que nada está resolvido (se for seu caso), você já está, de alguma maneira, bem resolvida.

E se alguém lhe falar qualquer merda a seu respeito, não leve pro pessoal (o problema não é seu). Ninguém sabe tudo o tempo todo; ninguém tem certeza o tempo todo do que quer. Então, relaxa e (se) curta.

 

Quer continuar lendo? <3

Sobre aceitar – clica aqui.
Você respeita suas más escolhas? – clica aqui.

 

 

Deixe uma resposta