evaporar.

Casal se beijando dentro do carro.

De todos os clichês, você me confirmou que a forma como as pessoas saem de nossas vidas diz muito. Diz tudo. Você me disse, ao me deixar partir daquele jeito, quão pequena você me enxergava. O vazio que sempre senti ao seu lado ficou muito bem explicado. Você não tinha nada para oferecer. E eu tinha. Eu tinha muito. Mas meu tudo sempre se esbarrava em seu nada. Vazio. As pessoas não podem dar o que elas não têm. Mas, afinal de contas, quão vazia uma pessoa pode ser? Você me ensinou que muito. E com você eu aprendi que preciso me lembrar de ser corajosa. Sim. Eu sentia o vazio. Eu sentia a falta. Eu sentia o nada que vinha de você. Mas a gente finge que não é com a gente. A gente acha que a pessoa vai cair em si, que vai ver o tamanho de coisas lindas que você tem pra dar. Mas não. Quem não tem nada, não pode oferecer nada. Não se engane. Tenha coragem de ouvir sua intuição. Não fique onde não há entrega. E relaxa. Não é a pessoa que te faz amar ou te faz melhor ou qualquer baboseira do tipo. Ninguém faz ninguém ser nada. Você é o que é e ponto. Você ama porque o amor está em você. Você é capaz de amar o universo com tudo que carrega no peito. Então não venha me dizer que são os outros que lhe despertam amor. O amor está em você. Você é uma dádiva. Não se diminua pra caber no mundo de alguém. Se a pessoa não sabe te terr por lá, que assim o seja. Por amor ao seu amor, por amor ao que há de mais belo dentro de você, vá embora. O amor é um grande clichê. Ele sempre te eleva. Ele sempre te lembra que não há perdedores quando se sente. Não tem como perder quando se ama. Só quem não ama perde. Só quem não sabe receber e dar amor perde. E isso sempre será uma opção. A coragem que precisamos ter vai além dessa busca tola que travamos a vida toda ao acreditar que encontraremos a pessoa perfeita. Amor se constrói. Amor é tijolo por tijolo. É carinho por carinho. É afeto por afeto. Intimidade por intimidade. O amor demora. Amor não vem pronto, não. Será que você sabe disso? Será que você quer saber? Sabe aquele papo “não é nada com você, sou eu”? É a mais pura verdade. Sim, somos todos livres para ir e vir, ficar ou partir. Mas a covardia é o que mais me preocupa. A indecisão é o mais irritante. Pessoas mornas, fracas. Que lutam somente quando lhes convém; que querem somente quando vale a pena. E que sempre te deixam pra depois. E que sempre tentam te diminuir. E te cozinham lentamente. Elas gostam de te ter por perto mas não cuidam. Elas não sabem o que sentem. Elas nem se conhecem. Eu tenho verdadeira preguiça de gente que não se conhece e não se esforça pra isso. Acabou que, de todos os clichês, o mais latente é a preguiça que sinto de você.  Acredito em ações, não em palavras. Eu estaria morta de fome se não tivesse tido coragem o suficiente pra te deixar pra trás. E finalmente você está aí, bem atrás. E eu to curtindo meu próprio banquete.

2 Comments

  1. Lucas Damaceno

    O Amor em si é o mais corajoso. Pois ele é capaz de suprir a ausência de amor de outrem e impedir que este o leve embora. Amei ler sua crônica… comecei por esta aqui, mas não cessarei até ler todas. =]

Deixe uma resposta