Sobre aceitar.

A vida é cheia de altos e baixos. Muita coisa pode acontecer em um curto espaço de tempo e é muita bobagem nossa querer manter o controle das situações e das pessoas. Tudo acontece por algum motivo. Tudo pode nos edificar, mesmo que doa; e tudo pode ser motivo para te levar pra baixo, se assim preferir. Mas nós estamos aqui para lidar com todo esse turbilhão. E só nos resta aceitar: vamos perder e ganhar, gostando ou não.

Menina com vários olhos no rosto.

É realmente difícil lidar com tanta coisa nessa vida. Relacionar-se com pessoas nunca vai ser fácil. Relacionar-se com a dinâmica e impermanência da vida nunca vai ser fácil. A gente se apega muito; a gente se acostuma muito. Depositamos toda nossa vida nas mãos de pessoas e situações passageiras. E sim: dói aceitar, mas as coisas passam, as pessoas se vão, nós mudamos de emprego, de casa, de cidade… Nós somos feitos de mudança. De impermanência.

Mas eu te digo: o mais difícil é aceitar-se. Nosso maior desafio somos nós mesmos. Complicamos demais as coisas, né? Nós sabemos que dá pra ter mais leveza, mas somos facilmente influenciáveis… Nós usamos máscaras para trabalhar, para transar, para passear… Transformamos tudo em uma bela performance pois vivemos para fora. Nos preocupamos mais com a validação externa do que com a interna. E isso dificulta a aceitação pois, agindo desse jeito, precisamos e reforçamos o nosso desejo de ter a aprovação de todos. Impossível.

Então por que não começar por você mesmo? Aceitando suas máscaras, suas limitações, seus medos, suas batalhas. Não se cobre tanto. Não tente ser perfeito. Há muita beleza na imperfeição. Acolha o que te fere — só há cura com amor.

“Por que você se agarra a algo? Porque tem medo de perdê-lo. Talvez alguém possa roubá-lo. Seu medo é que não possa ter amanhã o que você tem hoje.”         — Osho.

Nós não vamos ter amanhã o que temos hoje. Ora, se até nós mudamos o tempo todo, como os outros não mudariam? Nada será igual, não adianta acreditar que será. Mas sempre será melhor. Sempre. Só o fato de sermos metamorfose já faz tudo se transformar.

A maior barreira da aceitação vem do ego. Ele se fere muito. Ele não aceita perder, ele bate o pé pras mudanças, ele quer conforto a qualquer custo. Quer certezas, quer aprovação, quer aceitação de todos, quer garantias. Eu sei como isso dói. Nós gostamos de palavras bonitas, de promessas, de ilusões… E tudo bem. É meio que natural hoje em dia. Até isso temos que aceitar. Mas aceitar não significa estagnar.

Muita gente acha que aceitação é passividade. Ledo engano. Aceitação é parar de aumentar o que é pequeno; ou, por outra ótica, é diminuir o que lhe parece gigante demais. Viver é mutação. Aceitar é acolher a mutação.

“Perfeição não é algo como uma disciplina, não é algo que você possa praticar, não é algo que você precise ensaiar. Mas é isso o que tem sido ensinado a todos, e o resultado é um mundo cheio de hipócritas, que sabem perfeitamente bem serem vazios e ocos, mas que insistem em simular todos os tipos de qualidade que nada mais são do que palavras vazias.”
— Osho

 

Quer continuar refletindo com a gente? 🙂

Clica aqui pra refletir sobre não fugir do que te dói.
Clica aqui pra ler sobre os desfechos imaginados que criamos nas nossas lindas (e malucas) cabeças.

 

3 Comments

  1. Lucas Damaceno

    O ego é o reflexo distorcido de si mesmo. É muito mais fácil aceitar ser o que terceiros esperam de você do que esperar que eles te aceitem como você é. A crônica está cheia de pontos de reflexão importantes e com ótimo aprofundamento, adorei!

Deixe uma resposta